domingo, 31 de março de 2013

Amor e Amizade (Por William Shakespeare): Momento Leitura

Perguntei a um sábio, a diferença que havia entre amor e amizade; e ele me disse essa verdade:

O Amor é mais sensível,
A Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas, a Amizade o chão. No Amor há mais carinho,
Na Amizade compreensão.
O Amor é plantado e com carinho cultivado, a Amizade vem faceira, e com troca de alegria e tristeza, torna-se uma grande e querida companheira.
Mas quando o Amor é sincero ele vem com um grande amigo,
E quando a Amizade é concreta, ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo ou uma grande paixão, ambos os sentimentos coexistem dentro do seu coração.

(William Shakespeare)

sábado, 30 de março de 2013

Curso de Programação Neurolinguística na Comunicação - Certificado

Um bom Empreendedor, também,
é aquele que investe em Curso

Curso de Programação Neurolinguística na Comunicação
Escola de Formação Profissional Unisat
Ministrante: Thelma Tavares de Oliveira


Conteúdo do Curso
          - Ciclo de Aprendizado;
          - Equipes de Alto Desempenho Topgrading;
          - 12 Segredos do Perfil “A Player”;
          - Programação Neurolinguística;
          - PNL – Portas da Percepção;
          - Canal de Linguagem;
          - Acuidade Sensorial;
          - Exercícios para Estimular os Sentidos;
          - Superação;
          - Comunicação.






Obrigado, Equipe Ômega, pelo investimento feito no corpo docente.

Colégio Ômega (Santos-SP.)
Santos-SP.
Fevereiro de 2013

“...o que ensina, esmere-se no fazê-lo.” (Romanos 12:7)




Excesso de brincadeiras e piadinhas pega mal com as garotas (Por Jairo Bouer)


Ponto para você que consegue admitir que, de alguma forma, está pisando na bola com as garotas. Muita gente percebe que faz um montão de bobagens na hora de se relacionar com os outros, mas não dá o braço a torcer. Resultado: as aproximações e os namoros ficam muito mais complicados.
            O que o senhor anda fazendo de tão grave para afugentar as meninas? Será que as tais piadinhas infames têm tanto poder assim? O que leva alguém a fazer piadinhas o tempo todo? Vai ser necessário mesmo mudar seu jeito para conquistar as garotas?
            Toda vez que tentamos inventar um novo jeito de ser para agradar às outras pessoas, corremos o risco de errar feio. Por quê? Não adianta fingir ser uma pessoa que você não é. Provavelmente você é um cara bem-humorado e alegre, e isso é ótimo. É com esse seu jeitão que vai conquistar as meninas. Nada de tentar ficar vestindo um personagem que não é o seu. Isso soa falso e as garotas percebem na hora.
            Você tem de aprender a usar esse senso de humor a seu favor. Não precisa ficar contando piadinhas para “chegar às meninas”. Uma boa dose de humor inteligente cativa muito mais do que uma dezena de piadas sem graça. Isso sem falar no seu charme, carisma, jogo de cintura e lábia. Esses são recursos que a gente desenvolve com o tempo e a prática.
            Talvez até o fato de você ficar contando piadas o tempo todo para fazer seus amigos rirem traduza algum tipo de insegurança e imaturidade. Na sua cabeça, podem passar ideias como “se eu não fizer os caras rirem, eles vão me achar chato, sem graça ou bobo” ou ainda “a turma gosta de mim porque eu divirto todo mundo”.
            Mais uma vez: nada contra risos, diversão ou piadas. O bom humor faz parte do seu estilo. Mas, tome cuidado para não ficar achando que essa é a única forma que você tem para se relacionar com as pessoas. Use isso a seu favor e perceba que há outras possibilidades e formas de chegar à galera.
            Além de piadas, as meninas e os amigos curtem conversar, trocar ideias, discutir assuntos interessantes, falar de música, de cinema, de baladas, de paquera, de política, de eleição e por aí vai. Não dá pra ficar só zoando e rindo o tempo todo, não é?
            Tente sacar o que leva você a só insistir nas piadas. Preste atenção às formas que seus amigos usam para “chegar às meninas”. Veja quais os outros recursos, leia, procure se informar sobre o que está acontecendo, aprenda a discutir, a usar seu charme e nunca abra mão desse seu bom humor. Pode apostar que não faltarão oportunidades para você mostrar que não é nada bobo.

Jairo Bouer, 36, é médico.
Se você tem dúvidas sobre saúde,
 escreva para o Folha Teen
 ou para jbouer@uol.com.br

sexta-feira, 29 de março de 2013

A Maior Bronca que Já Levei (Momento Leitura)

Tínhamos uma aula de Fisiologia na escola de medicina logo após a Semana da Pátria. Como a maioria dos alunos havia viajado aproveitando o feriado prolongado, todos estavam ansiosos para contar as novidades aos colegas e a excitação era geral.
Um velho professor entrou na sala e imediatamente percebeu que teria trabalho para conseguir silêncio. Com grande dose de paciência tentou começar a aula, mas você acha que minha turma correspondeu? Que nada. Com um certo constrangimento, o professor tornou a pedir silêncio educadamente. Não adiantou, ignoramos a situação e continuamos firmes na conversa. Foi aí que o velho professor perdeu a paciência e deu a maior bronca que já presenciei. Veja o que ele disse:
- Prestem atenção porque eu vou falar uma única vez – disse, levantando a voz e um silêncio carregado de culpa se instalou em toda a sala e o professor continuou.
- Desde que comecei a lecionar, e isso já faz muitos anos, descobri que nós, professores, trabalhamos apenas 5% dos alunos de uma turma. Em todos esses anos observei que de cada cem alunos, apenas cinco são realmente aqueles que fazem alguma diferença no futuro; apenas cinco se tornam profissionais brilhantes e contribuem de forma significativa para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Os outros 95% servem apenas para fazer volume; são medíocres e passam pela vida sem deixar nada de útil. O interessante é que essa porcentagem vale pra todo o mundo. Se vocês prestarem atenção notarão que de cem professores, apenas cinco são aqueles que fazem a diferença; de cem garçons, apenas cinco são excelentes; de cem motoristas de táxi, apenas cinco são verdadeiros profissionais. E podemos generalizar ainda mais: de cem pessoas, apenas cinco são verdadeiramente especiais. É uma pena muito grande não termos como separar esses 5% do resto, pois se isso fosse possível, eu deixaria apenas os alunos especiais nesta sala e colocaria os demais para fora, então teria o silêncio necessário para dar uma boa aula e dormiria tranquilo sabendo ter investido nos melhores. Mas, infelizmente não há como saber quais de vocês são esses alunos. Só o tempo será capaz de mostrar isso. Portanto, terei de me conformar e tentar dar uma aula para os alunos especiais, apesar da confusão que estará sendo feita pelo resto. Claro que cada um de vocês sempre pode escolher a qual grupo pertencerá. Obrigado pela atenção e vamos à aula de hoje.
Nem preciso dizer o silêncio que ficou na sala e o nível de atenção que o professor conseguiu após aquele discurso. Aliás, a bronca tocou fundo em todos nós, pois minha turma teve um comportamento exemplar em todas as aulas de Fisiologia durante todo o semestre; afinal, quem gostaria de espontaneamente ser classificado como fazendo parte do resto? Hoje não me lembro de muita coisa das aulas de Fisiologia, mas a bronca do professor eu nunca mais esqueci. Para mim, aquele professor foi um dos 5% que fizeram a diferença em minha vida. De fato, percebi que ele tinha razão e, desde então, tenho feito de tudo para ficar sempre no grupo dos 5%, mas, como ele disse, não há como saber se estamos indo bem ou não; só o tempo dirá a que grupo pertencemos.
Contudo, uma coisa é certa: se não tentarmos ser especiais em tudo que façamos, se não tentarmos fazer tudo o melhor possível, seguramente sobraremos na turma do resto.
(Autor desconhecido)

sábado, 23 de março de 2013

O Adolescente de Hoje (Escola Celestin Freinet-2013)


O Adolescente Hoje

Isto também é Empreendedorismo:

Vocês fizeram um trabalho que superou as expectativas. Reproduziram com exatidão quem vocês realmente são: ADOLESCENTES conscientes de seus papéis perante a família, os amigos, a sociedade e, principalmente, perante vocês mesmos (“Espelho”).
Desde a montagem até a apresentação pudemos aprender muito um com o outro. As conversas (opiniões) foram bastante produtivas.


Produção e Apresentação


















































Exposição





























































Um grande Abraço e Sucesso a todos!
DEUS abençoe muito vocês!


Obrigado, queridos Alunos, por acreditarem e participarem dos projetos propostos. Vocês são os verdadeiros protagonistas de todo o processo educacional. Aprendo cada vez mais com vocês!!!

Obrigado, também, Equipe Escola Celestin Freinet, por dar apoio e por confiar em meu trabalho.

Prof. Esp. Flávio dos Santos (Empreendedorismo)


“O que ensina, esmere-se no fazê-lo.” (Romanos 12:7)